segunda-feira, março 02, 2020

A cor do medo é

Faltou-me caneta para escrever
alguma poesia
mas, o que é poesia
senão o esboço pálido
de uma existência?
que passa
como as horas irregulares
da espera
de que o fim 
chegue lentamente
sem dor, sem pesar
pois tememos e com amargo desespero
que o cessar venha e,
como foice sobre o trigo,
nos ceife num momento

Nenhum comentário: