sexta-feira, setembro 28, 2012

Retalhos - Sensibilidade e memória

Um mergulho em pedaços de memórias alheias, com suas cargas de beleza e feiura, faz a leitura de Retalhos, de Craig Thompson, uma experiência realmente compensadora. Mais que uma graphic novel, esta se constitui um relato vívido e belo sobre família, religião e, sobretudo, escolhas.

Narrado de forma fragmentada e irregular, como uma colcha de retalhos deve ser, o trabalho de Craig Thompson denota principalmente uma sinceridade quase desconcertante. Seus personagens são francos, diretos, sem meias-palavras. Tanto a crueza quanto os momentos da mais sutil beleza são mostrados de forma explícita, mas nunca banal. O narrador, inserido de tempos em tempos, além de reforçar o caráter intimista da história, também funciona como fio condutor, que vai manter unidos os quadros que formam essa grande narrativa.

Craig conta através de sua graphic novel os períodos mais importantes de sua juventude, considerados cruciais para a formação de sua personalidade adulta. Criado no seio de uma família cristã em uma cidade do interior do estado de Wisconsin, o jovem Craig cedo se depara com mensagens fortes sobre culpa, retidão e inferno. Impressionado e buscando uma saída contra a condenação evangélica, o garoto desenvolve uma profunda religiosidade, reforçada ainda mais por seu caráter introspectivo e sua alma sensivel de futuro artista.

Assim, gradativamente, Craig vai descobrindo a hipocrisia religiosa, tanto nas instituições quanto nas pessoas que as reforçam, na ignorância "abençoada" de muitos fieis, na infelicidade decorrente da mensagem truncada e floreada de muitos grupos religiosos. Seu trabalho, apesar do tom crítico, é desprovido de cinismo de alguém amargo com a vida, que se considera "enganado" pelo antigo fervor evangélico. Craig Thompson cultiva o tom de uma pessoa que conseguiu resolver seus dilemas internos e apaziguar a própria alma, entendendo a importância que sua religiosidade teve em sua vida e aceitando seu ceticismo com naturalidade. Como destaque nesse processo está seu relacionamento com Raina, uma jovem com quem desenvolve uma amizade que rapidamente caminha para uma paixão forte e transformadora. Através dessa paixão tão intensa e pura ele desmistifica o pecado, encontra a beleza que transcende a moralidade religiosa e alcança a maturidade.

Dessa forma, sua obra soa ainda mais bela e profunda, carregada de uma poesia simples, mas repleta de maneirismos em que os exageros surgem com tal graça que se justificam na construção de imagens líricas em sua plena medida. Uma jornada ao passado, uma forma de refletir o presente, Retalhos é certamente um dos trabalhos mais belos, uma obra de sensibilidade ímpar.


Fica Técnica
Título: Retalhos
Autor: Craig Thompson
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2009
Páginas: 592
Tradutor: Érico Assis

Página do livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/29153

2 comentários:

Blenda Karolline disse...

Muito Bom esse livro! Li e recomendo.

Lourdinha disse...

Gostei demais do comentário. Vou ler com certeza .