sexta-feira, junho 22, 2012

As batalhas do Castelo


Em um reino remoto em plena Idade Média, um rei agonizante dá uma ordem inusitada. Logo após sua morte, o Bobo da Corte deveria ser nomeado Duque, tendo direito a todas as regalias da nobreza, ou seja, um castelo com vassalos a servi-lo e uma corte sua, com menestréis, artistas e até um bobo para alegrá-lo. O excêntrico presente do rei moribundo deixa a Corte Real de pernas para o ar. Os dois príncipes, que secretamente disputam o trono, bem como os demais nobres, consideram que elevar um plebeu, ainda por cima Bobo, para a condição de nobre seria o maior dos ultrajes. 
Mas esse Bobo de bobo não tem nada. É um homem de meia-idade, cheio de vitalidade, otimismo e inteligência. O presente também havia sido uma surpresa para ele, mas os méritos eram todos seus, pois havia alcançado a simpatia do rei com todo o seu talento e genialidade. Com essa grande chance, ele decide pôr em prática todos os seus ideais e sua filosofia de vida, lutando para a construção de um reino mais justo e com condições mais dignas de vida. Ele parte então para o seu castelo, o mais pobre e distante, acompanhado por uma trupe de velhos, aleijados, doentes, músicos surdos, crianças órfãs e um poeta desencantado da vida. Os desafios serão muitos para que o Bobo realize seu sonho e cabe ao leitor acompanhá-lo para descobrir se de fato o ideal da justiça e do bem podem prevalecer contra a crueza do mundo.
Escrito em uma linguagem leve e despretensiosa, As batalhas do Castelo é um comovente conto que mostra como o homem sempre passa pelos mesmos questionamentos, não importa qual seja a época, e que cabe a cada um a escolha de, a cada dia, construir um mundo melhor.

Ficha Técnica

Título: As batalhas do Castelo
Autor: Domingos Pellegrini
ISBN: 8516035956
Editora: Moderna
Ano: 2003
Páginas: 208

Página do livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/5075-as-batalhas-do-castelo

Um comentário:

Fefa Rodrigues disse...

Nerito, parece uma história interessante, não só por se passar na Idade Média, mas pq me parece ter uma certo profundidade a partir destas questões, não?!