sexta-feira, maio 25, 2012

Bagagem


Geralmente, não costumo fazer resenha de livros de poesia. O principal motivo é que em geral, leio prosa. 
Não significa, contudo, que alguns textos escritos em verso não me fisguem. Inclusive, quando gosto muito de um poema, procuro sempre decorá-lo. Assim, quando sinto vontade de compartilhar algum poema com alguém, fica mais fácil. Basta declamá-lo.
Pensando então na ausência de resenhas sobre livros de poesia, resolvi começar com uma autora muito apreciada: Adélia Prado.
Tendo sido publicado pela primeira vez em 1976, Bagagem é um conjunto de sentimentos e memórias, saudades e vivências, repleto de beleza e focado nas coisas simples da vida, como uma laranja tirada do pé do quintal ou o almoço de domingo com a família. São poemas que têm a cara de Minas de tempos passados, dialogando com poemas de Drummond, embora faça contrapontos que se afastem da ótica negativista e busque um lirismo mais alegre, carregado de feminilidade.
Bagagem é um trabalho tocante e atual, tanto que continua sendo publicado e distribuído. É inclusive um excelente presente para os amantes de poesia.

Confira o lindo poema que abre esta obra inesquecível:


Com licença poética

Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta, anunciou:
vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.
Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não sou tão feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim, ora não, creio em parto sem dor.
Mas o que sinto escrevo. Cumpro a sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
-- dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
Mulher é desdobrável. Eu sou.


Ficha Técnica
Título : BAGAGEM
Autora: Adélia Prado
ISBN : 850106503X
Gênero : Poesia - Poesia brasileira
Páginas : 144

Página do livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/4548-bagagem

6 comentários:

Fefa Rodrigues disse...

Nerito, conheci a Adélia qd, antes de uma pregação, um pastor, que é mineiro, citou um trecho de uma poesia dela... isso foi há uns 7 anos... e nunca mais me esqueci do trecho e de tantos outros poemas dela que acabei lendo depois desse episódio...

Realmente muito boa, e eu gosto da alegria dela... vc comentou sobre o diálogo da poesia dela com a de Drummond... sobre isto, adoro aquele trecho:

"Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta, anunciou: vai carregar bandeira."

:o)

Nerito disse...

Oi Fefa! Adélia Prado realmente é uma poeta com muita personalidade. Foi uma curiosa coincidência você postar sobre ela no seu blog quase quando eu postei esta resenha! rs...

Tyr Quentalë disse...

Realmente é difícil se encontrar resenhas sobre livros de poesias e que interessante esse lado de decorar para poder repassar a poesia, declamando-a para outros.
Minha memória não é tão boa a esse pontos, mas até aí, meu filho diz que sou ótima para inventar estórias do nada.

Antonia Vitorino Nascimento disse...

//TÔ morrendo de vontade de ler + não encontro.Quem tem esse livro PELO AMOR DE DEUS!!???//

Antonia Vitorino Nascimento disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nerito disse...

Oi Antonia,

Se você for de Belo Horizonte, pode pegar esse livro aqui na biblioteca onde trabalho. Fica na rua Carangola, 288, bairro Santo Antônio.

Abraço!