sexta-feira, abril 02, 2021

A Rainha da Neve - Histórias grandes e pequenas sobre amor e ternura


Uma menina que vai até o ponto mais gelado do mundo para salvar seu amigo de infância. Um casal apaixonado cuja história é recontada e revivida a partir de um sabugueiro. Uma gola que passa a se achar muito importante, só porque foi aparada por uma tesoura. Estes são alguns dos contos que fazem parte da coletânea A Rainha da Neve, o segundo volume de uma coleção da Livraria do Globo (que um dia iria se tornar Editora Globo).

A Rainha da Neve pega emprestado o título do primeiro conto deste volume. Dá para perceber o caráter fantástico dos contos, embora haja narrativas carregadas de um caráter de crítica social. Em A Rainha da Neve nós podemos perceber um tom esperançoso, luminoso nos contos que compõem este volume. Há também um tom de humor prosaico, ingênuo, em muitas das narrativas.

Neste volume, há alguns dos mais famosos contos de Andersen. Entre eles, "Os cisnes selvagens", que inspirou meu livro Patos Selvagens, "A pequena vendedora de fósforos", que nele recebe o título "A menina dos fósforos", "O soldadinho de chumbo" e finalmente "O rouxinol". É importante destacar também a primorosa ilustração desta obra. Os desenhos, lindamente feitos por Roswitha Wingen-Bitterlich acabam por conferir o tom mágico e maravilhoso ao conjunto da obra.
 

Ninguém pode negar a importância de Hans Christian Andersen para a literatura infantil mundial. Tanto que seu aniversário, dia 2 de abril, marca justamente a celebração internacional do livro infantil. Andersen, em seus contos, mostra profunda sensibilidade e imaginação. Outro ponto a se observar em muitas das obras de Andersen é o protagonismo feminino. Porém, muitas vezes estas protagonistas acabam por ser obrigadas a grandes sacrifícios e provações. Muitas delas fatais.

Aproveito para destacar que o motivo que me levou a escolher o segundo volume para começar a ler esta coleção foi puramente afetivo. Tenho uma memória antiga de um conto de minha tia Evelyn Medina, inspirado justamente no conto "A Rainha da Neve". Fui descobrir essa relação muitos anos depois. Porém, a imagem do espelho se estilhaçando e um pequeno fragmento entrando no coração de um menino foi forte o suficiente habitar minha imaginação por longos anos. Como muitas de minhas leituras, devo à Tia Beve a busca incessante de uma imagem descoberta em minha infância, finalmente encontrada por entre as páginas amarelecidas do livro A Rainha da Neve.

Feliz Dia Internacional do Livro Infantil.


Ficha Técnica

A Rainha da Neve

Hans Christian Andersen

Ilustrações de Roswitha Wingen-Bitterlich

Tradução de Pepita de Leão

Ano: 1959 

Páginas: 319

Idioma: português

Editora: Editora Globo


Perfil do livro no Skoob: https://www.skoob.com.br/a-rainha-da-neve-75132ed437388.html

4 comentários:

  1. Querido Samuel Medina, ganhei este livro da minha saudosa mãezinha ALEXANDRINA. Parabéns pela escolha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marcinha! Que tocante coincidência. Obrigado por seu carinho e pela visita! Abraço!

      Excluir
  2. Samuca, essa obra é realmente muito valiosa. Pensar que há alguns anos eu contei "A pequena vendedora de fósforos" com o Coletivo Narradores e não sabia que tinha esse livro em casa. Você é um guardador de tesouros. A resenha ficou tão bonita quanto é essa edição.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, Pam, suas palavras são sempre muito generosas. Sou feliz em ter uma leitora como você. Beijo.

      Excluir