segunda-feira, fevereiro 24, 2020

Pequeno guia do mediador:



  1. Cuidar do espaço de modo a criar um ambiente favorável para a leitura; principalmente quando se trata de bebês. É importante garantir condições mínimas no espaço.
  2. Deixar os livros ao alcance das crianças, facilitando seu acesso.
  3. Ter um acervo, uma biblioteca, diversificada pensando na multiplicidade dos perfis leitores.
  4. Saber quem serão seus leitores, ou preparar-se para a diversidade de perfis.
  5. Disponibilizar o tempo para a leitura com dedicação e exclusividade.
  6. Não esperar nada desses momentos de leitura a não ser um momento de fruição que o contato com uma experiência artística possibilita.
  7. Não se esquecer da liberdade do leitor - ele não é obrigado a nada.
  8. Mostrar o livro como fruto de um trabalho coletivo:
  • ler o título;
  • ler o nome do autor e do ilustrador;
  • ler o nome da editora;
  • ler o paratexto.
Quando for um álbum ilustrado, compartilhar a leitura das ilustrações. Ser fiel ao texto:
  • não vale mudar palavras de difícil compreensão;
  • não vale traduzir trechos complicados;
  • não vale alterar ou reduzir histórias.
Depois da leitura:
  • ter uma escuta atenta;
  • respeitar o que os leitores pensam, suas dúvidas;
  • problematizar sem conduzir a uma interpretação única do texto.
Procurar se manter informado sobre lançamentos.

Guia retirado do curso Infâncias e Leituras, do Polo Itaú Social, em parceria com o Laboratório Emília de Formação. (http://www.polo.org.br)

4 comentários:

medinalages disse...

Guia excelente!!!

Samuel Medina (Nerito Samedi) disse...

Realmente. E o curso também foi excelente. Quando souber de uma nova turma, aviso.

Rodrigo disse...

"não vale mudar palavras de difícil compreensão;
não vale traduzir trechos complicados;
não vale alterar ou reduzir histórias."

Faço isso tudo... >_<

Samuel Medina (Nerito Samedi) disse...

Que bom! Guias são sugestões, felizmente. A liberdade é mais importante que qualquer manual.