quinta-feira, outubro 31, 2013

O Aprendiz: O começo de uma jornada tenebrosa

O mundo está escurecendo. As trevas parecem ter cada vez mais força. Se não fosse pelo Caça-feitiço, o Condado talvez já estaria perdido. É neste clima sombrio que acompanhamos o início do livro O Aprendiz, de Joseph Delaney. Este é também o primeiro de uma longa saga.

De início, o leitor é apresentado a Thomas Ward, sétimo filho de um sétimo filho. Por sua posição na família, o rapaz, já no início de sua adolescência, é enviado para ser aprendiz do Caça-feitiço. Esta é uma profissão sombria e perigosa, além de ser muito mal-vista pela sociedade, o que garante uma vida solitária. Thomas, embora inseguro e assustado, passa no primeiro teste. Por sua condição de nascimento, o rapaz tem algumas características especiais, que o tornam apto ao cargo. Além disso, Thomas também se mostra um rapaz decidido, buscando decisões rápidas, sem fugir de suas consequências.

Assim, o leitor acompanha o aprendizado de Thomas junto ao Caça-feitiço, em uma casa misteriosa e com jardins repletos de perigos. Dentre estes estão as sepulturas de bruxas, que foram enterradas em condições especiais para que não se libertassem e aterrorizassem o Condado. Uma delas, inclusive, ainda viva. E o Caça-feitiço adverte a Thomas que morta esta feiticeira seria ainda mais perigosa.

Outra importante advertência feita ao jovem é que ele nunca deveria confiar em mulheres, principalmente aquelas com sapatos pontudos. E justamente uma garota de sapatos pontudos surge na vida de Thomas. Seu nome é Alice, ela tem praticamente a mesma idade que o rapaz e além disso é muito bonita. E por dever um favor a Alice que Thomas provoca terríveis consequências, com as quais deverá lidar sem vacilação.

O Aprendiz é um livro com um texto enxuto e dinâmico. A narrativa é ligeira, com uma excelente ambientação. Seu clima gótico e obscuro conferem à leitura uma tensão especial. Além disso, tendo Thomas como narrador em primeira pessoa, o texto garante uma forte empatia entre leitor e protagonista.

Apesar de ser uma trama relativamente simples, esta obra de estreia da série As Aventuras do Caça-Feitiço já demonstra que o universo imaginado por Joseph Delaney é incrivelmente rico e factível, repleto de bruxas, assombrações e ogros, com personagens fortes e sobretudo carismáticos.

Portanto, nada melhor para começar uma boa aventura do que conferir este livro. Se o leitor não tomar alguns bons sustos, pelo menos terá a garantia de uma boa dose de diversão.

Aproveito para indicar também a leitura da resenha da Fê, do blog Na Trilha dos Livros.

Ficha Técnica
Edição: 1
Editora: Bertrand Brasil
ISBN: 9788528613155
Ano: 2008
Páginas: 224
Tradutor: Lia Wyler

Página do livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/1092-o-aprendiz

Primeiras Provas

Há momentos em que você é posto à prova. A expectativa se casa com o desafio. Ou seja, a oportunidade que você esperava para falar do seu trabalho diante de um grande número de pessoas coincide justamente com o desafio de não cometer alguma "gafe", ou simplesmente soar pedante, convencido e tedioso ao público.

Esse era meu sentimento na semana passada, quando me deparei pela primeira vez com um grande número de pessoas desconhecidas para falar sobre meu livro O Medalhão e a Adaga, na Escola Estadual Afonsino Altivo Diniz, no bairro Asteca, em Santa Luzia. Foi sem sombra de dúvidas um momento mágico. Estava ansioso ante a expectativa. E mais ainda por saber que se tratava de uma turma de jovens. Sabemos como uma plateia de jovens pode fazer a gente ir do céu ao inferno em questão de segundos. 



O lançamento do livro na Biblioteca foi um sucesso, é claro. Tivemos um público de sessenta pessoas. Contudo, a grande maioria dessas pessoas eu já conheço de longa data. Foram inúmeros rostos amigos que me apoiaram nesse momento especial. Já na Escola Estadual Afonsino, estiava diante de uma plateia totalmente nova.

Minha ansiedade, porém, deu lugar a uma grande satisfação ao ver como fui bem recebido, com tanto carinho e consideração. Primeiramente por parte da professora, Fernanda Rodrigues de Figueiredo, minha grande amiga, que fez de tudo para que eu me sentisse em casa. Os alunos fizeram o mesmo. Durante a palestra, que foi mais um bate-papo, pude falar da realização do meu sonho de trabalhar com literatura, em um ambiente tão maravilhoso que é a Biblioteca Pública Infantil e Juvenil, e de ser escritor. Um sonho que não acaba, pois a cada lançamento eu vejo mais um capítulo acontecer.

E hoje outro capítulo desse sonho se desenrolou, pois estive no Campus I do CEFET-MG, no auditório, falando sobre as aventuras de Bildan, Sheril e Datini. Li vários trechos do livro, dei autógrafos e distribuí marcadores. Mais uma vez, confirmei meu prazer de falar sobre literatura, de ler para as pessoas, de viver o livro.

Enfim, encerro este relato agradecendo a todos aqueles que estiveram me escutando, com tanta atenção e interesse, tanto na Escola Estadual Afonsino Altivo Diniz quanto no CEFET. Vocês não fazem ideia de como esses momentos foram importantes para mim. Obrigado!

sexta-feira, outubro 25, 2013

Que bicho será que fez a coisa?

Um negócio enorme e fedorento surge no meio do mato. Os bichos, então, se unem para descobrir quem seria o autor da catástrofe. Começa assim uma engraçada e inusitada investigação.

Que bicho será que fez a coisa, de Ângelo Machado, brinca com o cocô. De uma forma lúdica e muito bem-humorada, o texto vai apresentando cada um dos animais, que partem em defesa própria, descrevendo cor, forma e consistência de suas fezes.

Este livro integra uma série que brinca com o mistério e usa do formato do gênero policial para apresentar à criança uma informação no mínimo curiosa: como será o cocô de cada bicho?

Com um texto gostoso e a arrojada ilustração de Roger Mello, Que bicho será que fez a coisa certamente garante uma leitura gostosa e divertida a toda a família.

Ficha Técnica
Autor: Ângelo Machado
Ilustrador: Roger Mello
Editora: Nova Fronteira
Ano: 2009
Páginas: 24

quarta-feira, outubro 23, 2013

Livros em Pauta: mais um evento inesquecível

Créditos: Lina Stefanie


Cheguei em São Paulo ainda de manhã para o lançamento do livro Mentes Inquietas, que aconteceria às 15h dentro do evento Livros em Pauta, organizado pela Editora Andross, na pessoa do Edson Rossato. Conforme a experiência anterior, tencionava permanecer o dia inteiro no evento, participando dos debates e palestras. E mais uma vez minha expectativa não foi frustrada.
Era cedo ainda quando cheguei à Faculdade Estácio. A equipe do evento corria como louca para deixar o espaço pronto. Enquanto isso, meio deslocado, eu pagava pelo pátio. Essa sensação durou pouco, pois logo avistei a colega escritora Lara Luft, que tratou de me deixar à vontade, com seu jeito simples e cativante. Foi por isso que me senti mais à vontade para posar nas inúmeras fotos, junto a colegas autores que acabara de conhecer.
Depois de conversar com algumas pessoas, conhecendo colegas, fazendo amizades, compareci ao credenciamento e fui para o debate sobre networking editorial, onde pude trocar contatos e apresentar meu livro. Levava comigo os marcadores.
Antes de tudo, levava comigo os pães de queijo para o Davi Paiva.
À tarde, participei de um debate sobre etiqueta para blogueiros literários. Foi assim que conheci o incrível escritor Walter Tierno e pude levar os seus dois livros. Já estou completamente absorvido pela leitura de Cira e o Velho.
Durante o lançamento, encontrei-me com minha amiga Fê, do blog Na trilha dos livros. Ficamos a tarde inteira conversando sobre literatura e dando boas risadas. 
Quando já estava com as pernas bambas de cansaço, despedi-me da Fê e parti para a rodoviária. Tive que esperar duas horas e meia até o horário do ônibus que me levaria de volta para BH. Durante a espera, uma agradável surpresa: curti a música que um rapaz tocava em um piano de cauda.
A viagem foi cansativa mas muito proveitosa, principalmente pelos colegas que conheci. Pretendo manter em meu calendário o compromisso permanente de sempre comparecer ao Livros em Pauta. Não somente pelos contatos, pelas oportunidades e pela experiência adquirida. O que mais valeu nessa viagem toda foi a alegria contagiante que senti junto a tantas pessoas que jamais esquecerei.

Aqui cabe uma atualização. Ao reler este post, senti falta de ter mencionado os demais colegas, tanto aqueles com quem troquei muitas palavras quanto os que partilharam comigo o momento da fotografia. E especialmente, gostaria de mencionar a Thais Pampado, que muito carinhosamente demonstrou interesse em adquirir meu livro. Também saúdo o Maurício Campos, que acreditou em minha narrativa, levando um exemplar.

Sei que muitos outros deveriam ser nomeados e conto com a compreensão. Priscila, Maurício Kanno, o organizador Alfer Medeiros, a L.E. Haubert (narniana como eu!) e tantos outros. Sinto-me em débito eterno com vocês e espero sempre poder me lembrar de todos!

quinta-feira, outubro 17, 2013

Angellore: Um Thriller Espiritual

Uma série de crimes inexplicáveis aterrorizam os moradores de Belo Horizonte (MG) e deixam perplexos os experientes policiais do Departamento de Inteligência da Polícia Civil, em especial a agente Olívia Giacomelli, famosa por sua competência. Os corpos das vítimas apresentam características muito perturbadoras, embora para os legistas seja impossível definir a causa da morte. Enquanto isso, Sophie, uma moça marcada por uma tragédia familiar, começa a vivenciar estranhos e perigosos fenômenos ao seu redor. Tais fenômenos têm seu início tão logo a moça conheceu Nicolae, um jovem misterioso e sedutor. Em linhas gerais, é assim que Angellore - A Divina Conspiração, de autoria de Gabrielle Venâncio Ruas, tem o seu início.

Há algum tempo, este livro foi lançado na Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte, onde trabalho. Infelizmente, não havia tido tempo para iniciar sua leitura. Aproveitei uma viagem e pude enfim dedicar-me a este livro. E não me arrependi.

Um dos pontos fortes, que gerou forte empatia à narrativa, é o perfil de Sophie e suas experiências no campus da Universidade Federal de Minas Gerais. Estudante de História, a moça circula pelos mesmos espaços em que circulei durante meu curso de Letras. E as descrições de cenários, prédios e aulas foram tão verossímeis que pareceu de fato que eu estava passeando pelo campus de minha antiga universidade. E tais referências não são enfadonhas ou forçadas. Tudo é apresentado com muita naturalidade, o que dá força tanto à narrativa quanto aos personagens.

E de fato os personagens são joias a parte. Bem construídos, empáticos e dinâmicos (com exceção de Nicolae), a interação entre eles é sem dúvida o grande acerto da autora. A japonesinha Kat destaca-se, com seus traços bem específicos, seu jeito despojado, despreocupado, embora bastante agitado. Sem dúvida, Gabrielle Ruas cria uma teia de personagens ricos em personalidades e expressões, o que faz com que o livro funcione muito bem internamente, com fluidez, leveza e muito humor. A piada interna ACDC é um dos grandes exemplos disso.

Já os personagens que circundam Olívia acabam sendo mais presos em seus papeis. E de certa forma acaba sobrando para a policial a obrigação de sustentar sua parte do enredo. Para isso, Gabrielle concede a Olívia uma personalidade forte e implacável, o que funciona, mas acredito que essa carência de personagens expressivos ao redor da narradora acabe por fazer com que a tensão entre as duas narrações, de Olívia e de Sophie, fiquem desiguais. 

E por falar em narrativas, destaco que o livro é constituído na verdade por três narradores: Olívia, Sophie e um narrador desconhecido. A decisão de construir esse terceiro narrador acaba equilibrando a tensão Olívia/Sophie, criando o que eu chamaria de uma "terceira margem". É interessante também observar que, enquanto a narração de Sophie é radiante, geralmente banhada de cores e luz, Olívia apresenta-se em um ambiente mais sombrio, com toques noir, enquanto o terceiro narrador encerra-se no signo da noite e da sombra. Essa gradação de tons enriquece o romance, fortalece seus contornos e seu ambiente, transformando-o num Thriller de primeira, e capturando o leitor.

Além do humor, há também doses de romantismo ao longo do livro, em trechos que inevitavelmente me remeteram a Crepúsculo. Esses elementos românticos são carregados de inocência e menos melodramáticos que o romance vampiresco, o que considero um bom sinal. Ainda assim, não posso dizer que o elemento romântico seria descartável, mas careceu de um maior desenvolvimento, que talvez virá nas continuações.

Não posso deixar de falar também nas cenas de ação. Gabrielle não nega as influências de animes/mangás em sua obra, inclusive as exalta. E de fato a narrativa não fica confusa ou enfadonha durante as cenas de luta. De forma muito competente, a autora demonstra um grande domínio sobre o ritmo do texto, conferindo às lutas, perseguições e perigos um peso dramático excelente.

Repleto de suspense, humor, romance e ação, com um texto leve e cativante, Angellore: A Divina Conspiração sem dúvida é o fruto do trabalho de uma escritora que veio para ficar. 

Ficha Técnica
Edição: 1
Editora: Modo Editora
ISBN: 9788565588126
Ano: 2012
Páginas: 264

Página do livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/229627/

quarta-feira, outubro 16, 2013

Book Tour: O Medalhão e a Adaga

Depois do lançamento, sabemos que o trabalho árduo apenas começou. Nós autores lutamos com unhas e dentes por cada leitor e muitas vezes ficamos sem saber como fazer com que as pessoas conheçam nosso livro. A Tamires, do blog De Tudo Um Pouco da Thá, tem me dado a maior força e organizou um Book Tour para divulgação do livro. Este é um projeto voltado a todos os blogueiro(a) usuários do Skoob.

Aproveito para me apresentar novamente!

Foto -Samuel Medina


Minha minibiografia: Samuel Medina nasceu no Rio de Janeiro, Capital, em 1981, mas passou sua infância no interior de Minas Gerais. Graduado em Letras, trabalha como servidor público municipal na Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte.






O Medalhão e a Adaga:
O Medalhão e a Adaga

Bildan é um jovem que perdeu seus pais ainda na infância, tendo crescido sem saber muita coisa sobre suas origens. Porém, tudo muda quando ele encontra uma misteriosa garota e um livro mágico, com uma mensagem secreta. Assim, o rapaz deverá atravessar uma terra repleta de magia e perigos, numa jornada desafiadora, rumo a grandes revelações sobre seu passado e sobre o sentido de sua existência.
 

 

O Book Tour funcionará da seguinte forma:
  • Serão escolhidos 10 blogs ou pessoas que tem conta no skoob para o book tour, se houver mais de 10 inscritos, estenderemos para um número maior de pessoas;
  • Todos terão de 15 a 25 dias para ler e passar para outro(contando o dia de envio);
  • Os participantes se comprometem a resenhar o livro no blog/skoob e passar o link para a Tamires (http://de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/2013/10/participe-book-tour.html) e também para mim (como comentário neste post);
  • O livro vai ser enviado para o primeiro blog e este terá o compromisso de repassá-lo ao próximo da lista;
  • Peço que me envie o código de rastreamento do livro para que possamos enviá-lo ao próximo leitor;
  • Preencher o formulário abaixo, se o mesmo não carregou, clique AQUI;
  • As inscrições serão feitas até completarem 10 blogs;
  • Por favor cuidem bem do livro, tenham compromisso com para o prazo de leitura reenvio aos coleguinhas. No mais, boa leitura.
Somente isto, todos podem enviar pelo registro módico que sai bem mais barato. Saiba mais como funciona o registro módico AQUI ou então veja um post bem mais explicativo no blog Leitora Viciada.

Qualquer dúvida entre em contato com a Tamires ou comigo, tanto no blog como através de uma mensagem na Fã page.
Faça Inscrição:


Muito obrigado a todos. Até mais!

quarta-feira, outubro 09, 2013

Bem maior que o mundo

Cheguei em casa moído. O cansaço me envolvia como uma velha roupa. Meus olhos, desbotados, pousavam sobre um ponto qualquer da parede do quarto. Sentado em minha cama, eu era visitado pelas lembranças.
Fazia um ano que ele partira. Meu gigante, minha montanha negra, o senhor de todas as minhas palavras. Fazia um ano que eu não escutava a sua voz, grave e potente, dando conselhos quase nunca pedidos. Um ano sem olhar sua face austera, sempre grave, mas sempre tão cheia de amor. A face de um homem que não se envergonhava de chorar qual criança quando sensibilizado por alguma melodia. Homem sempre sério, mas que sabia sorrir nos momentos mais singelos, para a minha constante surpresa infantil.
Lembro-me da véspera de sua partida. Um dos últimos a vê-lo no hospital, ainda não conseguia assimilar a ideia que eu não o teria mais comigo. Não mais poderia receber suas lições de inglês, nunca mais seria testemunha de seu caminhar claudicante, fruto de toda uma vida de árduas andanças.
Então uma lembrança ainda mais antiga e intima me assaltou. Vou à escola e ele me acompanha, mesmo sem conseguir manter meu ritmo de impossível criança de cinco anos. Entre a ousadia e o temor, eu me adiantava, mas logo em sobressalto me virava para conferir se ele ainda estaria lá, observando à distância minha ousadia. E eu o avistava logo atrás, velando por mim, tão grande que parecia ser maior que o mundo.
E agora lá estava ele, o meu gigante, deitado em uma cama de hospital, perdido em meio a lençóis e travesseiros, tão frágil, mas ainda assim tão belo. Eu sabia que não o teria para sempre. Ainda assim, continuava mentindo para mim mesmo, silenciosamente repetindo "tá tudo bem, vai ficar tudo bem" enquanto conversava com ele, sem saber aquela seria a última vez que eu ouviria sua voz.
Tomei suas mãos nas minhas. Sim, parte de mim sabia que aquela era uma despedida. Talvez minha parte mais secreta. Segurando suas mãos, levei um susto. Eram enormes, muito maiores que as minhas. E então desejei ter mãos como aquelas, para que, ao olhar para elas, pudesse ver um pouco dele em mim.
E segurando aquelas enormes mãos, descobri que sempre estivera certo. Ele era mesmo um gigante. Um colosso. Mesmo frágil, enfraquecido, deitado naquela cama de hospital, ele ainda era maior que o mundo.
De volta ao meu quarto, um ano depois, percebi que realmente nunca mais poderia segurar aquelas mãos. Não mais poderia passear em suas lembranças, ou escutar seus conselhos. E as lágrimas correram soltas, livres, depois de um ano represadas. Naquele momento, a parte de mim que nunca aceitou sua partida finalmente se encontrava com aquela outra parte, a mesma que sempre soube do poder das despedidas. E que elas nunca são definitivas. Nesses ecos do luto, descobri também que ele, meu gigante, havia crescido ainda mais. Não era apenas maior que o mundo. Ele era o mundo inteiro. 
Em memória a Nestor Antônio Medina.

segunda-feira, outubro 07, 2013

Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte - Programação de outubro/2013

Decidi aproveitar este espaço para também divulgar as atividades que realizamos na Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de BH. Espero que gostem!

Literatura

Oficina Salada de Bruxa
Criação de novas possibilidades narrativas a partir da leitura do livro Branca de Neve e as Sete Versões, de Marcus Aurelius Pimenta e José Roberto Torero. Com Samuel Medina.
Público: infantil
Vagas: 20
Dias 8 e 15, terças, às 14h30

Oficina Campeonato Nacional de Monstros
A partir da leitura do livro Pé de cobra, asa de sapo: quadrinhas monstruosas, de Rafael Soares de Oliveira e ilustração de Jean Galvão, produzir perfis de personagens com base nos monstros do folclore, promovendo sua ressignificação. Com Samuel Medina.
Público: infantil e juvenil
Vagas: 20
Dia 10, quinta, às 14h30


Oficina Dicionário da Imaginação
Leitura do livro Girafa não serve pra nada, de José Carlos Aragão e criação de um dicionário onde a criança será estimulada a dar novas definições para uma ou mais palavras. Com Kamila Ribeiro.
Público: infantil (a partir de 6 anos)
Vagas: 20
Dias 11 e 18, sextas, às 9h30


Oficina Boi tato tá
Leitura compartilhada do conto folclórico Boitatá, do livro Viagem pelo Brasil em 52 histórias, de Silvana Salerno e produção de narrativas curtas, utilizando algumas palavras escritas em Braille. Com Wander Ferreira.
Público: geral
Vagas: 20
Dia 17, quinta, às 14h30




Oficina Que história é essa?
Leitura compartilhada do livro Bruxinha Zuzu e Gato Miú, de Eva Furnari, seguida da desconstrução e reconstrução da sequência lógica de narrativas visuais encontradas em outros livros da autora. Com Amanda Dias Leite.
Público: infantil
Vagas: 20
Dias 22 e 29, terças, às 14h30

Oficina Traduções Possíveis
Leitura da seção "Intraduções", que integra o livro Despoesia, de
Augusto de Campos, seguida de exercícios de transcriação a partir de
poemas concretos em língua estrangeira. Com Amanda Dias Leite.
Público: juvenil e adulto
Vagas: 20
Dia 31, quinta, às 14h30
(Duração: 2 horas)



Era uma vez jovem
Narração de histórias para jovens. Com Lícia Soares, Marilu Zanasi e Maria Tereza Andrade.
Público: juvenil
Vagas: 60
Dia 31, quinta, às 19h

III Encontro de Literatura afro-brasileira

Dia 24, quinta, às 19 horas
Abertura oficial
Performance com a poeta Cristiane Sobral
Palestra, com a Profa. Dra. Constância Duarte - UFMG
Mediadora: Mara Evaristo - Coordenadora do Núcleo de Relações Étnico-Raciais


Dia 25, sexta, 9h
Mesa de debate.
Cristiane Sobral - escritora e atriz
Simone Teodoro - Gerente da Biblioteca Pública Infantil e Juvenil
Rosália Diogo - Núcleo de Relações Étnico-raciais

Dia 25, sexta, 14h
Palestra de encerramento, com a escritora Conceição Evaristo
Mediadora: Érica Lima – Doutora em Literatura Brasileira


FORMAÇÃO PERMANENTE

Roda de Leitura
Encontro para estudos sobre leitura e literatura infantil e juvenil, bem como prática de leitura em voz alta. Com Wander Ferreira e Samuel Medina.
Aberto a novos interessados.
Públicos: juvenil e adulto (mediadores de leitura, educadores e interessados em geral)
Dias 2, 9, 16 e 23 e 30, quartas, às 9h30


Encontro semanal de contadores de histórias
Reunião para seleção e pesquisa de textos literários, exercícios de narração e trocas de vivências. Com Samuel Medina e Érica Lima.
Aberto a novos interessados.
Dias 4, 11, 18 e 25, sextas, às 9h45

Conheça a BIBLIOTECA

Visitas monitoradas
Para conhecimento dos espaços, acervos (literário, informativo e quadrinhos) e participação nas atividades da biblioteca.
Públicos: infantil, juvenil, universitário e demais interessados
Agendamento pelo telefone 3277-8672, de terça a sexta, das 9 às 17h
Visitação: terças e quintas, às 9h30; quartas e sextas, às 14h30
Mais informações: bpij.fmc@pbh.gov.br

SERVIÇOS

Empréstimo de livros e quadrinhos. Acervo disponível para consulta local com obras informativas e literárias voltadas, sobretudo, para os públicos infantil e juvenil.
Acesso à internet (Telecentro). Wi-Fi disponível. De terça a sexta, das 9 às 17h30; sábados, das 9h30 às 13h.


AOS SÁBADOS

Dias 5, 19 e 26
Oficina A(u)tor: experiências em dramaturgia
Construção de textos para cenas de curta duração a partir de fragmentos de obras literárias não dramáticas. Os participantes serão convidados a exercitar as possibilidades dramatúrgicas provenientes da relação entre a perspectiva do autor e a sua própria. Com Amanda Dias Leite.
Público: adulto
Vagas: 15
Às 10h30
(Duração: 12 horas, divididas em seis encontros de duas horas)


Dia 5
Lançamento e sessão de autógrafos do livro A galinha e outros bichos inteligentes, de Ronald Polito.
Às 11h

Dia 19

Oficina No Fio da História
Leitura de trechos do livro Haroun e o Mar de Histórias, de Salman Rushdie, bate-papo sobre contos de fadas e criação de novas versões das histórias tradicionais a partir de trechos que precisarão ser remontados. Com Samuel Medina.
Público: infantil e juvenil
Vagas: 20
Às 10h30

Dia 26

Leituras em quadrinhos
Clube de leitura que se reúne quinzenalmente para ler e discutir temas relacionados aos quadrinhos, sua linguagem e relação com outras mídias. Com Afonso Andrade.
Públicos: juvenil e adulto
Às 10h

Conversa em quadrinhos
Encontro com quadrinistas atuantes no mercado nacional e/ou internacional. Com Afonso Andrade.
Públicos: juvenil e adulto
Às 11h30

Era uma vez...
Hora do conto: leitura e narração de histórias da literatura e da tradição oral. Maria Tereza Andrade e Lícia Soares.
Público: infantil
Às 10h30

sexta-feira, outubro 04, 2013

Um universo fantástico inspirado na cultura da nossa gente

Fruto de quinze anos de escrita e reescrita, o romance é ambientado em um universo repleto de seres fantásticos e busca como principal referência o folclore e a mitologia que permeiam o imaginário de Minas Gerais. Nas páginas de O Medalhão e a Adaga o leitor poderá encontrar contadores de histórias, tropeiros, sacis, mulas-sem-cabeça, animais falantes, versos de cordel, profecias, além de muita aventura e magia.
Gorgórdia é um reino idílico. Não há muitos luxos, nem mesmo para os mais ricos, mas ainda assim ninguém passa fome. O maior problema dessa terra é justamente a magia que a permeia. Tão poderosa quanto qualquer força da natureza, a magia permite que deuses andem pela terra e que criaturas fantásticas sejam algo comum. Entidades benéficas ou não, essas criaturas habitam o interior das florestas. Há animais falantes, cucas, sacis e gigantes, além de muitos outros seres.
Felizmente, há também os Arqueiros Sagrados. Humanos que nasceram com a capacidade inata ao manuseio da magia, a eles cabe manter a paz e a ordem, seja impedindo que homens cacem os animais falantes, seja na prevenção do ataque de alguma criatura maligna e poderosa.
Muitos nunca viram um Arqueiro Sagrado, mas todos sabem que é melhor que isso nunca aconteça. Afinal, a presença deles só significa uma coisa: problema. Ainda assim, esses poderosos guerreiros são prestigiados e temidos entre o povo.
Em Teran, pequeno povoado do interior de Gorgórdia, vive Bildan, um jovem e solitário pastor que desconhece suas origens. Marcado por uma tragédia pessoal e considerado um menino amaldiçoado, ele é obrigado a crescer sem amigos, enfrentando o desprezo de quase todos ao seu redor.
Cansado dessa hostilidade e impelido por um desejo interior e misterioso, Bildan decide viajar rumo à Bosque Assombrado, sem imaginar que lá se encontra o segredo sobre suas origens e seu destino. E nesse lugar encantado Bildan encontra uma misteriosa garota e um livro mágico, com uma mensagem secreta. Assim, o rapaz deverá atravessar uma terra repleta de magia e perigos, numa jornada desafiadora, rumo a grandes revelações sobre seu passado e sobre o sentido de sua existência.
O Medalhão e a Adaga buscará levar o leitor através de um mundo rico em detalhes, livremente inspirado no folclore nacional, onde uma saga sobre amizade, coragem e descoberta terá seu início.


Ficha Técnica:
Título: O Medalhão e a Adaga
Autor: Samuel Medina
Editora: Multifoco
Formato: 21 x 14 cm
Páginas: 196
ISBN-13: 9788582733448

Página do livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/341451-o-medalhao-e-a-adaga

Fanpage no Facebook: https://www.facebook.com/OMedalhaoeaAdaga

Entrevista na Rádio Inconfidência sobre o livro: http://www.inconfidencia.com.br/modules/debaser/player.php?id=7275

Resenhas: