sexta-feira, outubro 05, 2012

Viagem e Vaga Música - uma jornada de sensibilidade

Para Ana Luiza de Freitas Rezende


O amor desenganado, a saudosa canção do viajante, o mar. Estes são alguns temas que a obra dupla Viagem & Vaga Música, de Cecília Meireles, aborda com tanta beleza e propriedade.

Originalmente publicados como dois livros distintos, ambos foram posteriormente reunidos em um único volume, por conta da afinidade tanto nos temas quanto nos poemas, bem como na construção estética.

Este é um livro melancólico, embora não seja tristonho ou pessimista. A linguagem é leve e limpa, dedicada à construção de imagens oníricas de paisagens onde o mar está quase sempre presente.

Como o próprio título indica, muitos poemas do livro irão falar da ideia metafísica da viagem, como uma alegoria do viver, da condição eterna do sujeito de estrangeiro na vida, saudosista, aturdido diante do absurdo da existência e repleto de desesperança fatalista, sem grande interesse no fim da jornada, mas no seu percurso. Apesar desse tom tristonho, a leveza e o lirismo de Cecília Meireles concedem à obra uma cadência tão singela, como a música de uma caixinha de joias, de maneira que a melancolia se transforma em serenidade através do encantamento proporcionado pelas belas imagens criadas pela poeta.

Dessa forma, Cecília Meireles retrata em seus poemas com muita propriedade e sensibilidade, de forma certamente bela, os temas mais caros à poesia. Uma jornada melancólica, mas certamente bela.

Ficha Técnica:
Título: Viagem & Vaga Música
Autor: Cecília Meireles
Edição: 1
Editora: Nova Fronteira
ISBN: 8520918476
Ano: 2006
Páginas: 189

Página do livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/9235

2 comentários:

Nadia V. disse...

Amo poesia! Faz tempo que não leio um livro novo de poesias. Quem sabe o próximo seja esse.
Obrigada pela visita.
Bjs.

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Nerito!

Não curto muito poesia, mas gosto muito de Cecília Meireles. Acho que é porque ela não é muito estudada na faculdade, e por isso as poesias dela não estão estragadas pelas viagens dos professores ;)

Beijos!