quinta-feira, julho 13, 2017

Um patrão chamado mercado

De repente, você descobre que terá que trabalhar mais anos até se aposentar. E que terá que trabalhar mais horas por semana. E que se o seu patrão quiser parcelar suas férias, quem é você para dizer "não"? E se ele quiser demitir você e contratar como "intermitente", melhor do que ficar sem trabalho. E se quiser te demitir e contratar como terceirizado, idem.
E descobre que os caras que decidiram isso supostamente trabalham para você. E que eles recebem todo o tipo de adicional e auxílio. E tiram férias duas vezes ao ano. E uma penca de recessos (folgas) o ano todo.
E de repente você descobre que sabia que isso tudo ia acontecer. Só que você não esteve parado. Você foi pra rua, protestou, fez greve, gritou "não passarão" e "fora temer"! Você não foi omisso. Você mandou e-mails para os políticos, votou na enquete do senado, reclamou com todo mundo. Em vão. Eles decidiram contra você. Na prática, seu voto é de fachada. Quem decide tudo mesmo é o tal mercado.

Nenhum comentário: