sexta-feira, fevereiro 20, 2015

Febre

A madrugada anuncia outras mortes.
Minúsculos falecimentos
Fremidos, sofrimentos
Ferinos mas doces tormentos.
E o olho vermelho pulsa
Lacrimeja
Fere a treva
Telúrica, a alma
Se exaspera.
Quer ser sonho,
Fôlego suave,
mas fraqueja.

Nenhum comentário: