quarta-feira, novembro 30, 2011

A estrada, a casa e seus sabores

27/11/2011 - 15h30. No carro, a caminho de Joaíma.

As montanhas verdes nos circundam. O gado salpica os cumes mais próximos. Montes abaulados e convidativos. As curvas sinuosas parecem acentuar nossa velocidade, que nem é tanta: 80 km/h.

Pouco antes dessa corriqueira viagem: Um almoço farto, caloroso e aconchegante foi o prenúncio de um cochilo na penumbra do quarto emprestado. Minutos de silêncio se desdobraram em horas de sonho. Horas apenas em sonho. O retorno à realidade me ocorreu pelo olfato: cheiro de café novo. Na cozinha. Parecia que ainda sonhava, enquanto percorria quase cambaleante o caminho do quarto até a cozinha. O café forte envolveu-me como um abraço amoroso. Voltei ao quarto, completo por um instante, por um instante sábio. Já imagino que ser feliz é isto.

Dedicado aos meus: Brenda Linda e Fernando José.

4 comentários:

Fefa Rodrigues disse...

À tudo que tem valor de verdade!!

;o)

Fefa Rodrigues disse...

Nerito... que bom que vc voltou!! Como foi de férias???

Bom, eu não cheguei a assistir Mad Max, mas fiz a louvcura de ver um filme do stephen king que tinha umas 6 horas de duração... Dança da Morte, já viu? Tbm é sobre a vida após o fim!!!

Um que eu gostei, mas acho que foi por questões de fé (hehehehe) foi O Livro de Eli...

Estou esperando sua resenha de A Sombra do Vento, viu!!!

Tyr Quentalë disse...

Meu lindo, achei ótima a homenagem! Sabe que me deu vontade de tomar café? No mais estou aqui tentando ler seu blogger e meu filho me importunando com piadas horríveis só para ver se saio da internet e a libero para ele. Mas eu hei de ler todas as novas postagens ;)

Simone Teodoro disse...

Simples e belo....