quarta-feira, maio 10, 2017

Um dia mágico



Biblioteca é um lugar de histórias. Por isso, de partilhas também. Afinal, a história só acontece quando contada, assim como o livro, quando lido.
Essa condição primordial de ponte, elo, torna a leitura tão poderosa, aproximando as pessoas, permitindo a nós o exercício da empatia, da oportunidade de sentir a dor de outra pessoa. A leitura literária é repleta de potência e nós vivemos para tornar essa potência evidente.
A inauguração do novo espaço da Biblioteca do Centro Cultural São Bernardo trouxe tudo isso à mente, enquanto compartilhava com crianças e adolescentes histórias que tenho guardadas na memória ou nos livros. 
De manhã, para meninas e meninos de 7 a 10 anos, contei "Um herói bem diferente", da Rosane Pamplona, e li "O rabo do rato", da Balbina Oliveira, ambas as histórias são registros de narrativas orais. Encerrei então com o magnífico "Mamãe zangada", de Jutta Bauer.
Ficamos então explorando o espaço, compartilhando leituras e ideias. Um dos livros que as crianças me pediram para ler era de adivinhas, o que envolveu grande parte da turma.
À tarde, recebi uma turma maior, pois eram duas escolas. Adolescentes, com seu ar desafiador e despojado, me olhavam, esperando histórias. Resolvi então contar uma narrativa da tradição oral chamada "Uma questão de interpretação". Apreendi essa história com a contadora Maria Célia Nunes. Em seguida, li "A parte que falta", de Shel Silverstein. O ar introspectivo que dominou os jovens foi então alimentado pelo "Mamãe zangada", única narrativa que resolvi repetir.
Seguimos para a exploração do acervo. Nesse momento, percebi que eles preferiam exercer sua autonomia no espaço, escolhendo suas leituras de forma mais reservada. Continuei à disposição para o caso de alguém pedir uma leitura.
Em ambos os turnos, senti-me muito bem recebido, tanto pelos alunos e professores, quanto pela equipe do Centro Cultural São Bernardo. A todas e todos meu mais profundo agradecimento. Que possamos repetir momentos assim, para descobertas e afetos.

2 comentários:

Pam disse...

Sentir a alegria em sua voz enquanto me conta sobre o seu dia no centro cultural é um prazer enorme. Delícia ver você feliz fazendo o que ama.

Samuel Medina (Nerito) disse...

Obrigado, meu amor! Você sempre me incentiva!