segunda-feira, janeiro 23, 2017

Preto

Foto: Pâmela Machado

Ele é muito, muito preto. Seus olhos âmbar como que suplicam carinho e atenção. Passo as mãos no pelo meio sedoso e meio áspero dele e meu coração sente uma pontada. Não posso levá-lo comigo, embora sinta como se ele já fosse meu.
Pretinho, meu pretinho. Um pedaço de noite, ou de lua nova, que caiu. E agora está diante de mim, querendo mais que atenção.
Tomo o delicado corpinho dele em meus braços e deixo que seu focinho úmido toque minha testa. Assim, nos comunicamos numa troca sinestésica, que começa com olhares e distância.  E sei que, para minha tristeza, é na distância que terminará.

Nenhum comentário: