terça-feira, junho 09, 2015

Vídeo de terça: Deserto


A tarde se fratura.
E o outono tem sempre
esse gosto de fim, que te aniquila.

O vento escuro suga tua alma
(aberta confusamente)
para a solidão das pedras frias: a matéria triste das montanhas.

Melancolias alcoólicas te povoam.

Bolhas de sonhos explodem no ventre
infecundo das estrelas.

Em vão, estendes os braços trágicos
a procura da alavanca que possa
frear o irreversivel.

Estás só, estática esfinge
sem enigma.


Deserto, Simone Teodoro. In: Distraídas astronautas, São Paulo: Editora Patuá.

Nenhum comentário: