quinta-feira, junho 11, 2015

Distraídas astronautas - uma jornada de sentidos

Já falei algumas vezes sobre a maravilhosa poesia de Simone Teodoro. Sinto-me como um pupilo clandestino dessa grande poeta. E por isso, falar de sua obra de estreia se torna tão desafiador para mim.
Aprendi muito sobre poesia participando de um projeto criado pela Simone, chamado Estação da Poesia. Sobretudo, pude aprender ainda mais lendo Simone. E minha proximidade com a autora permitiu testemunhar um longo e profícuo período de fazer poético e que culminou no livro Distraídas astronautas.
O leitor que se aventura em Distraídas astronautas é convidado a uma experiência estética que não se priva da força do desejo, da entrega e da dor. Um desejo carregado de um homoerotismo sinuoso, refinado. Uma voz que prima pelo feminino, pelo jogo de claro e escuro da relação romântica.
Ler Simone é para mim uma jornada silenciosa. Esse silêncio, contudo, é polifônico, rico, diverso, plural. Silêncios que bradam. É navalha cortando igualmente carne e seda. São poemas intimistas, muitos deles doloridos, revelando um eu lírico aturdido ante o absurdo da realidade, mas também maravilhado com belezas singelas que essa mesma realidade reserva para os olhares mais argutos.

Ficha técnica:
Ano: 2014
Páginas: 100
Editora: Patuá

Nenhum comentário: