sexta-feira, maio 22, 2015

Viril



Sou homem,
não mereço confiança.
Sou fruto de um erro cósmico.
Materialidade da ideia
de força, insânia
e pedra bruta.
Humano não é chancela
para qualquer virtude
ou talento,
apenas se for húmus,
adubo para
o verdadeiro sexo.
Sou homem,
tenho em minhas mãos
o peso de tantos atos
contra elas.
E que meu corpo, ainda que de
macho,
seja sacrifício,
sirva de alimento

a todas as viúvas.

Nenhum comentário: