quarta-feira, setembro 03, 2014

Revoada dos Patos Selvagens



Sim, meu amado filho finalmente alçou voo. Eu, pai todo orgulhoso, vi suas vigorosas asas enquanto me enchia de orgulho. O dia 30 de agosto foi maravilhoso. Ainda que eu estivesse extremamente ansioso, consegui me segurar, manter a calma, e curtir com gosto esse maravilhoso momento.
O caminho até o lançamento foi longo e árduo. Começou há mais de um ano, quando enviei o original para a editora RHJ. Durante alguns meses fiquei ansioso mas lentamente fui me desprendendo. Acho que em parte por causa de uma autoestima deficitária. Enfim, achava que meu texto não convenceria. 
Assim eu me mantive em silêncio sobre esse livro enquanto voltava todas as minhas forças para a obra que estava para nascer, O Medalhão e a Adaga
Curiosamente, um mês após o lançamento, recebi um e-mail da editora RHJ expressando o interesse na publicação de meu texto. Exultei, fui às nuvens. Naquele momento eu me senti como alguém que ganha na loteria. 
A partir desse primeiro e-mail deu-se início a um longo processo editorial. Eu aguardei com muita ansiedade o findar desse processo. Era assaltado por dúvidas atrozes, cheguei a sonhar que a editora entrava em contato comigo para dizer que meu livro era péssimo e não seria mais publicado. Foram momentos de sono escasso e atribulado.
Quando finalmente senti o livro em minhas mãos, fiquei maravilhado. Seguiu-se então a espera para organização do lançamento. Era preciso planejar uma data, fazer contatos, estimar público, organizar a agenda, levar aos amigos os convites.
E finalmente chega o dia 30 de agosto. Eu não me aguentava de tanta expectativa. Estava como um pião, sem parar um momento. O plano era fazer um bate-papo, mas as pessoas foram chegando, pedindo autógrafo, e assim a fila se formou e o papo ficou para outro momento.
Foi assim que eu pude assentar, mas sem descanso. Seguiu-se um longo período atendendo, dando autógrafos, tirando fotos, sorrindo, abraçando leitores. E fui agraciado com a presença de amigos que mostraram todo o seu afeto. A presença dessas pessoas foi fundamental para fortalecer meu desejo de escrever ainda mais - e melhor!
Assim, ao chegar o horário de fecharmos a Biblioteca, eu estava com o estômago vazio (não havia parado nem para beber água) e o coração cheio, transbordando. O sonho não foi apenas realizado, eu pude lançar meu livro ao lado da escritora e professora Ana Elisa Ribeiro, uma pessoa por quem nutro uma enorme admiração. Meu sonho ultrapassou todas as expectativas.
Fica aqui, então, meu agradecimento à Ana Elisa, à minha família, aos meus amigos e em especial a Ana Luiza de Freitas Rezende, que foi um apoio mais que sólido neste bom momento.

2 comentários:

Josi disse...

Olá!

Obrigada por "devolver" a visita no meu blog! Deve realmente ser uma sensação única ter um livro publicado!

http://eugostodeanotar.blogspot.com

Luciana Santos disse...

Parabéns, viu?^^