sexta-feira, julho 25, 2014

Fábulas para adulto perder o sono


O que dizer de tão fabulosa obra de Adriane Garcia? Com o perdão do trocadilho, ler essa obra poética que conquistou o Prêmio Paraná de Literatura, é de fato uma surpreendente jornada ao mundo de nossas fantasias infantis. E na tentativa de buscar adjetivos que façam jus à potência desse livro, acabo caindo no clichê, no lugar-comum. 
Contudo, creio que essa seja a grande força da poesia de Adriane Garcia. Em sua obra ela revisita esses tantos clichês e os revitaliza, ressignifica, chega até mesmo a devolver um pouco de seu caráter sombrio, desprovido dessa roupagem homogeneizante do politicamente correto.
Assim, Garcia aposta nessa inesgotável fonte que é nossa literatura oral e tece uma urdidura que se destaca justamente em sua diferença, em sua ousadia. São poemas que equilibram graça e aspereza, num jogo de morte e assopra que vai quase como um gingado, uma dança de sedução.
Ainda que faltem palavras, o apelo permanece. E o convite: venha você também perder o sono. 

2 comentários:

blog espiatório disse...

sim - o livro é isso e é mais! merecido o prêmio!!!

Adriane Garcia disse...

Gracias, Samuca!