sábado, julho 26, 2014

Ébrio

tolhido de sentidos
ele persevera.
Vence colinas
escala montanhas
e persevera.
Não fosse a linguagem
ele estaria morto.
Morta sua aspiração
Morto seu ideal
mas ele persevera
e fala
fala
e não se
cala
sua voz ecoa
pelas galerias
num
vazio
eco

Nenhum comentário: