quinta-feira, abril 14, 2011

Vieira - As palavras, as imagens e as ideias

Quando pensamos em Barroco, por conta das longínquas aulas de história em nosso tempo de estudantes, nossas mentes são logo povoadas por imagens das igrejas de Ouro Preto e pelas belíssimas obras do Aleijadinho. Mas não podemos esquecer que o Barroco foi um estilo que influenciou inclusive a literatura, tendo o Padre Antônio Vieira como um dos seus principais representantes. 


Nascido em Portugal, Vieira foi ainda criança para o Brasil com toda a sua família. Sua formação como jesuíta foi de fundamental importância para sua carreira eclesiástica e acadêmica, uma vez que suas pregações o fizeram conhecido tanto no Brasil quanto em Portugal. Durante toda a sua vida lutou contra a escravização do índio e com isso fez diversos inimigos. 


Em Sermões, antologia organizada pela editora AGIR, estão organizados três dos principais sermões do padre missionário: Sermão Pelo Bom Sucesso das Armas de Portugal Contra as da HolandaSermão do Mandato e Sermão da Sexagésima. Vieira era adepto do Conceptismo, uma corrente do Barroco que buscava um discurso simples, de fácil entendimento para qualquer pessoa, mas que também encerrasse em si profundos conceitos. O Sermão da Sexagésima, o mais famoso dos sermões do Padre Antônio Vieira, pode ser considerado, inclusive, como um verdadeiro manual do pregador, discorrendo exclusivamente sobre a arte de pregar. O estilo simples do sacerdote jesuíta leva o leitor através de um delicioso discurso, repleto de jogos de imagens, trocadilhos e alegorias.


A relevância do trabalho de Vieira é inegável tanto no ramo religioso quanto no literário, por conta da exímia habilidade que o eclesiástico mantinha com a palavra. Tanto que, com todo o mérito, o Sermão da Sexagésima foi escolhido como leitura obrigatória para o Vestibular 2010 da UFMG.

Ficha Técnica
Título: VIEIRA - SERMOES - COLECAO NOSSOS CLASSICOS - VOLUME 11
Organizador:  GOMES, EUGENIO
Editora:  AGIR
4ªEDIÇÃO.
Páginas:  134
ANO:  1966
BROCHURA

Um comentário:

Tyr Quentalë disse...

Confesso que não conheço os Sermões citados, ando meio afastada do estilo barroco, mas creio que acabarei conhecendo enquanto estiver cursando letras.