terça-feira, maio 17, 2016

De felizes despedidas




Sábado passado, dia 14 de maio de 2016, foi o último dia em que a Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de BH abriu para atendimento externo no Bairro Santo Antônio. Como era de se esperar, não podia deixar de ir. 
A expectativa já se faz grande. Afinal, estamos mudando de endereço. No primeiro dia de junho estrearemos em nossa nova casa, o Centro de Referência da Juventude, na Praça da Estação. A cidade, claro, ganha muito com a instalação de uma biblioteca municipal desse porte em um lugar tão estratégico. Afinal, estamos junto ao metrô, em plena Avenida dos Andradas, onde diversas linhas de ônibus passam. Além disso, temos estações do MOVE bem perto de nós. Ou seja, nosso alcance aumentará exponencialmente.
Contudo, não pude evitar o sentimento de melancolia que me tomava naquele sábado. E não era para menos, pois naquele local eu construí um sentimento de afeto ao longo dos últimos cinco anos. Tanta coisa legal feita naquele endereço! Sem falar as amizades granjeadas, junto a leitores e parceiros da Secretaria Municipal de Educação.
E naquele último dia, recebi um gracioso presente. Estava junto ao balcão quando uma criança entrou me saudando com energia:
- Bolinho! - e me deu um abraço.
Era o Luiz, um menino que foi levado pela mãe em uma das edições do evento "Manhã Encantada" e que voltava em busca de mais histórias. E ainda trouxe seu primo Vinícius. Os dois fizeram questão de que eu lesse para eles e no final ainda pediram que eu contasse as mesmas histórias que contei quando o Luiz foi à Biblioteca pela primeira vez.
Quando estavam de saída, Vinícius deu um sorriso e declarou:
- Quando eu crescer, vou fazer um filme. Vou ser o segundo principal. Você vai ser o primeiro.
Fiquei emocionado. Perguntei se o Luiz seria o diretor, mas ele disse que preferia ser ator no filme. Então, os dois ficaram listando quais de seus amigos ocupariam o papel de diretor. Não chegaram a uma decisão. Precisavam ir embora. Não deixaram, porém, de me agradecer com um abraço e a promessa de que irão ao novo endereço da Biblioteca.
Após a enérgica visita do Luiz e de seu primo, toda a melancolia havia sido dissipada. A presença deles foi como um belo presente de despedida, pois não há nada mais importante em uma biblioteca como a nossa que o reconhecimento e a consideração dos leitores. São eles que dão sentido ao nosso trabalho.

4 comentários:

Pam disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pam disse...

Texto tão bonito, Samu. Tem amor nas palavras, amor no modo como você trabalha e o retorno dos leitores é fruto disso. Também sinto o coração apertado só de te ouvir e de ver seus olhos enquanto fala da Biblioteca. Tenho motivos para gostar tanto dela ali no prédio da Carangola, o lugar onde realizei meu mestrado e aprendi muito em encontros com a leitura, escritores e leitores. Fiz novas amizades e reencontrei também velhos amigos, conheci muito do universo da literatura infantil, da escrita e dos leitores tão encantados quanto as histórias. E, certamente, jamais me esquecerei que foi dentro do mesmo prédio que te vi pela primeira vez e te conheci. Emoticon heart A parte boa e feliz dessa despedida é que embora o cenário esteja mudando, a história continuará a ser escrita por todos aqueles que amam os livros, a leitura, as histórias contadas e a Biblioteca. Felicidades e muitos leitores pra Biblioteca!

Tchô disse...

T-T que lindo... Me deu vontade de fazer uma crônica.

Nerito disse...

Pois faça, meu amigo!